22 março 2006

Vinte e oito de fevereiro de 2006 não foi só carnaval, foi meu aniversário em São Paulo. Neste dia completei 5 anos morando na capital paulista, na metrópole, na terra da garoa, nesta selva de pedra.
Selva de pedra. É para mim o termo que melhor define São Paulo hoje. Pelo que me lembre matei um leão por dia desde de minha chegada aqui (esta é uma média, já que em alguns dias,como hoje, tirei para descansar e em outros matei bem mais que um leão). E também a chamo assim porque me lapidou bastante. Nunca mais serei a menina minada de antes, agora me deixou assim, nesta forma tolerante, que entende que nem tudo é (e nunca vai ser) do jeito que eu quero. Cristo, como tive que amadurecer por aqui! E que tantas lições tive que amargamente aprender. A culpa com certeza foi minha, porque a idéia de vir para cá não foi de mais ninguém. Ah, se eu soubesse... teria vindo do mesmo jeito!
Vivi aqui os melhores anos da minha vida, segundo a definição de que estes anos são os anos da faculdade. Conheci muita gente, me diverti muito, bebi muito e aprendi a cozinhar muito bem. Morei em 4 apartamentos diferentes e me mudei 5 vezes, porque fui e voltei para o mesmo endereço. Dividi 90% de minha privacidade com 17 pessoas que também dividiram luz, telefone, condomínio, festas e aluguel comigo. Nunca vou esquecer estas pessoas, não que todas me tragam boas lembranças, mas são de fato inesquecíveis. E outras eu além de não esquecer, sempre manterei contato.
Fiz bons amigos aqui. Tomei muita chuva também, aqui chove demais! Muitos bons momentos, alguns bons namorados e muita cumplicidade com as companheiras de quarto.
Aprendi a ser apressada, a querer empurrar quem anda devagar na nossa frente na rua e a gostar de shoppings. Uh, aproveitei muito as exposições e shows de graça. Valorizei minha meia-entrada indo demais ao cinema, principalmente naquele cinema pequeno e às vezes vazio, do lado de casa, que só passa filmes que eu gosto e os que eu perdia nos cinemas maiores.
Mas nada disso seria tão gigantesco se eu não tivesse morado por 4 anos e 2 meses no coração da Avenida Paulista. Parada Gay, São Silvestre, Copa do Mundo, greve de professores, Caminhão da Indignação e as mais variadas manifestações. Até com o Hino Nacional eu já acordei (é, as manifestações começam cedo!).O resumo de tudo é que não poderia ter sido melhor. Arrependo-me de muita coisa, claro, mas nunca de ter tido coragem de sair de casa e passar estes cinco anos aqui. As pessoas que eu levo, as lembranças e, sobretudo as amizades sinceras, também lapidadas pela selva valeram muito e valerão para sempre.

2 comentários:

disse...

Nossa, sem comentários.
Ese seu post foi lindo Mimoca, lindo mesmo. Juro que até chorei um pouquinho (desfarsadamente, é claro).
Pô, me fez lembrar de muita coisa e me identificar com muita coisa que vc escreveu. Amo vc Mimoca. espero ser uma daquelas pessoas que vc falou com quem vc não vai perder contato nunca!!!!
Bjinhos!

mírian disse...

Claro que você está na lista dos contatos, afinal me apresentou o Moby, me fez ver que se pode comer brigadeiro mesmo sem ter festas de criança para ir e ainda era amiga de copo! Dá pra perder alguém assim no tempo?
Também te amo querida, aliás sua família toda!
Bjim e volte sempre!